Sobre a SBCPD

A Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD) reúne associados ligados às atividades de ensino, pesquisa e extensão desde informações e serviços em fitotecnia e fitossanidade, à comercialização e registro de produtos químicos, economia e “marketing”, saúde pública, ecologia, genética, tecnologia e várias outras áreas relacionadas a este campo da ciência. A grande diversidade de áreas, a ampla interseção e a forte interação entre elas, denota a abrangência e a complexidade das suas inter-relações.

Os herbicidas representam mais da metade do total de agroquímicos comercializados no Brasil, caracterizado por um volume financeiro superior à 3 bilhões. O uso racional dos herbicidas evita que ocorram perdas significativas, de 5 a 90%, na produção das principais culturas, em função da interferência imposta pelas plantas daninhas.

No entanto, apesar da expressividade técnico-científica e econômica, a Ciência das Plantas Daninhas, historicamente, não é aquinhoada por substancial número de profissionais atuando em áreas básicas, sobretudo nas instituições públicas de ensino, pesquisa e extensão. Nos departamentos ou divisões administrativas, sempre há uma expressiva maioria de profissionais atuando em entomologia e fitopatologia, comparado à matologia. Possivelmente isto se deva a menor idade deste ramo da ciência.

SBCPD

Face ao exposto, é imperioso que a SBCPD e seus associados trabalhem focados no intuito de se construir uma maior representatividade junto às comissões e órgãos públicos e privados, responsáveis pelas decisões mais importantes a nível nacional, além de visar-se a um grande reconhecimento internacional.

Faz-se necessário que todos, Diretoria e Associados, empenhem-se junto às faculdades de Agronomia, fazendo-as ver a necessidade de adicionar o ensino da biologia e manejo das plantas daninhas na grade de formação dos seus profissionais. Neste sentido, a página da SBCPD que passa, definitivamente, ao domínio dos associados, pode tornar-se importante ponto de referência para troca de informações com a administração. O abastecimento a ser feito, dinamicamente, no referido site, é uma tarefa a ser assumida por todos que almejam o engrandecimento desta área da ciência como um todo e de seus profissionais, em particular.

Palavra do
Presidente


Dr. Aldo Merotto Jr.

A Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD) é a sociedade científica oficial do Brasil, reconhecida pelos órgãos competentes, que trata de assuntos científicos relacionados a plantas que interferem na produção de alimentos e em outras atividades. Plantas daninhas são plantas que vegetam em conjunto e interferem com as culturas agrícolas e causam prejuízos caso não sejam controladas. Também são consideradas como plantas daninhas aquelas que ocorrem em locais viários, ambientes aquáticos, áreas de preservação e cidades, e que causam prejuízos diversos. Vários estudos indicam que os efeitos das Plantas Daninhas diminuem a produção de alimentos em 15% em países desenvolvidos e 35% em países em desenvolvimento. Os impactos causados pelas plantas daninhas interferem diretamente com a forma pela qual se faz agricultura e diminuem a disponibilidade e aumentam os custos de alimentos e produtos destinados a produção de energia, fibra e diversos outros compostos.

A Agricultura no Brasil passou por muitas mudanças nos últimos anos. Deixamos de ser um país importador e dependente para ser um país exportador e, principalmente, autossuficiente na produção de alimentos. O custo real da cesta básica caiu aproximadamente 50% nos últimos 40 anos. A maior disponibilidade e o menor preço real dos alimentos são grandes benefícios do setor agrícola para a população. Outro benefício é o ingresso de receitas através da exportação de produtos agrícolas que favorecem as pessoas diretamente envolvidas com a produção, mesmo no interior de pequenos municípios, e indiretamente também tem benefícios para toda a população através do aporte de recursos ao país.


A forma pela qual se faz agricultura no mundo e o Brasil mudou e continua mudando. Vários problemas foram resolvidos em função dos avanços recentemente obtidos. Os problemas causados por Plantas Daninhas que no passado eram secundários e facilmente resolvidos, mas atualmente são considerados pelos produtores como sendo de grande importância e decisivos para o adequado desempenho das culturas. Uma das várias grandes mudanças na Agricultura é a forma de controle de Plantas Daninhas. A grande demanda de mão-de-obra associada a capina manual ou com tração animal e os efeitos devastadores do preparo do solo ou da capina mecanizada foram alterados com o advento dos herbicidas. Grandes desafios do uso destes produtos em relação a sustentabilidade ambiental, aos efeitos de toxicologia e a resistência das Plantas Daninhas são assuntos atuais de investigação a aprimoramento. Novos métodos químicos, físicos, biológicos e moleculares de controle de Plantas Daninhas apontam a para novas mudanças que novamente terão grande impacto na evolução da agricultura e na disponibilidade de alimentos para a população.


A SBCPD, em atendimento a sua missão, possui compromisso com o avanço da agricultura do Brasil para proporcionar segurança alimentar e produção sustentável com foco na preservação ambiental. Como sociedade científica, a SBCPD tem o compromisso de zelar pela agricultura e pela clareza de informações baseadas no método científico de processos relacionados a sua área de atuação. A SBCPD objetiva desenvolver e fomentar atividades relacionadas a Ciência em todas as suas esferas sobre assuntos relacionados com Plantas Daninhas.


A internet é grande ferramenta atual de comunicação entre a população e entre cientistas. A divulgação do conhecimento é tão importante quanto a sua própria produção. Esperamos que os sócios da SBCPD, a população brasileira, e usuários de outros países desfrutem das informações disponibilizadas nesta página de internet da SBCPD de forma a utilizar os conteúdos para obtenção de conhecimento existente, produção de novos conhecimentos, e divulgação das informações para produtores e sociedade em geral.

Missão da SBCPD

Congregar professores, cientistas, técnicos, estudantes e pessoas físicas e jurídicas que se interessam em promover e incentivar a pesquisa, o ensino e a extensão na área da Ciência das Plantas Daninhas e sua aplicação em benefício da humanidade;

Promover estudos e pesquisas na área da Ciência das Plantas Daninhas, visando ao avanço científico e ao benefício da associação em nível nacional e internacional;

Estimular a melhoria do ensino na área da Ciência das Plantas Daninhas, em nível técnico, de graduação, pós-graduação e pós-doutorado;

Manter contato com institutos e associações da Ciência das Plantas Daninhas e ciências correlatas do país e do exterior;

Editar revistas para publicação de trabalhos científicos e didáticos, no campo da Ciência das Plantas Daninhas;

Editar o informativo da SBCPD;

Estimular a divulgação de conhecimentos da Ciência das Plantas Daninhas por meio da publicação de livros, monografias, boletins, mídia eletrônica e outros;

Arquivar a documentação sobre a história da associação;

Premiar os associados que prestem serviços de relevância ao ensino, pesquisa e extensão à Ciência das Plantas Daninhas

Divulgar resultados técnico-científicos de interesse da área da Ciência das Plantas Daninhas;

Cooperar com outras sociedades e organizações afins, na busca de soluções para problemas comuns e para divulgação técnica da Ciência das Plantas Daninhas;

Realizar congressos, conferências, seminários, cursos e mesas redondas para atualização e aperfeiçoamento profissionais, além de emitir pareceres e realizar trabalhos técnicos em geral, inclusive servindo como representante oficial da Área da Ciência das Plantas Daninhas junto a Órgãos oficiais, tais como Ministério da Agricultura, IBAMA e ANVISA.

Diretoria da SBCPD

Diretoria - Biênio 2021/2022



Administração



Presidente

Aldo Merotto Jr (UFRGS)


1ª Vice-Presidente

Caio Antonio Carbonari (UNESP)


2ª Vice-Presidente

Luis Antonio de Avila (UFPEL)


1ª Secretário

Marcelo Nicolai (AGRO DO MATO)


2ª Secretário

Rafael Pedroso (USP)


1º Tesoureira

Nubia Maria Correia (EMBRAPA)


2º Tesoureiro

Arthur Arrobas (UFPR)




Conselho Consultivo

Patricia Andrea Monquero (UFSCAR)
Pedro Jacob Christoffoleti (AGROCON)
Benedito Noedi Rodrigues (IAPAR)
Décio Karam (EMBRAPA - Milho e Sorgo)
Robinson Antonio Pitelli (Ecosafe)
Dionísio Luiz Pisa Gazziero (EMBRAPA - Soja)

Conselho Fiscal

Pedro Luis da Costa Agiuar Alves (UNESP)
Naiara Guerra (UFSC)
Anderson L. Cavenaghi (UNIVAG)

Suplentes do Conselho Fiscal

José Barbosa Santos (UFVJM)
Ana Carolina Dias Guimarães (UNEMAT)

Representantes Regionais

Norte
Thiago Andrade (UFPA)
Mariana Casari Parreira (UFPA)

Sul
André Ulguim (UFSM)
Giliardi Dalazen (UEPG)

Centro Oeste
Adriano Jakelaitis (IFGoiano)
Sidnei D. Cavalieri (EMBRAPA Algodão)

Sudeste
Leandro Tropaldi (UNESP)
Camila Pinho (UFRRJ)

Nordeste
Daniel Valadão (UFRESA)
Maria Rosângela Malheiros Silva (UEMA)

Revistas

Advances in Weed Science
Aldo Merotto Jr
Anderson L. Nunes
Carlos E. Schaedler
Carol Ann Mallory-Smith

Weed Control Jornal
Daniel Valadão Silva
Guilherme Braga

Boletim

Boletim Informativo
Rafael Munhoz Pedroso

Conheça nosso Estatuto


Leia sobre o funcionamento e metodologias da SBCPD